subject
Português, 24.03.2021 22:30 yarawaneska49

Não há como ler o novo romance de Chico Buarque, Essa Gente, sem ter em perspectiva o fato de ele haver nascido das ideias e da percepção aguçada de um

compositor sem o qual o Brasil seria outro. Há um modo inegável de acompanhar os

humores e amores da recente história do país: por meio das canções de Chico.

Em Construção, de 1971, no auge da ditadura militar, ele desenhou o cotidiano amargo

do operário de ―olhos embotados de cimento e lágrima‖, que ―sentou para descansar
como se fosse sábado‖, num inesquecível edifício de proparoxítonas. Quando os ares

pareciam mais respiráveis, e já era possível e compulsório pedir algum socorro, Meu

Caro Amigo, de 1976, foi uma carta gravada para informar que ―aqui na terra tão jogando

futebol / tem muito samba, muito choro e rock and roll / uns dias chove, noutros dias bate

sol / mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta‖. Em 1984, nos estertores

da escuridão, um manifesto em forma de samba-enredo a antecipar os dias democráticos

alertava, como um farol: ―Vai passar / nessa avenida um samba popular / cada

paralelepípedo / da velha cidade / essa noite vai se arrepiar‖. Sempre houve, em seus

versos, como nos de todo poeta fingidor, uma mágica: falar de amor, mas parecer estar

tratando de política; cutucar as questões coletivas, mas querer mesmo estar entre os mais

íntimos dos lençóis. As composições de Chico Buarque dão a sensação de se estar

atravessando um tomo de história ou uma antologia da vida privada (tudo somado à

adorável possibilidade de cantarolá-las, e parece improvável que se leiam os trechos que

abrem esta resenha sem colá-los às melodias que os fizeram adesivos).

Na poesia foi sempre assim, o dizer alguma coisa para iluminar outra — sem jamais

perder de vista a força cortante das metáforas, porque faca igual não existe. Na MPB,

Chico é um totem incontornável, carbono do que somos ou um dia imaginávamos ser,

apesar da acidez atual. Na prosa é diferente. A literatura de Chico Buarque,

desde Estorvo (1991) até O Irmão Alemão (2014), em cinco romances, segue outra

estrada, como se o autor estivesse farto do Chico dos discos e dos shows, cansado de

levar o mundo nos ombros, pela razão e pela emoção (a exceção que confirma a

regra, avant la lettre, foi Fazenda Modelo, de 1974, uma Revolução dos Bichos ao

avesso, evidentemente atrelada aos nós do cotidiano). Na literatura, Chico foi sempre

mais frio, mais distante, narrador razoavelmente apartado de seus temas. Não que o

desencanto e o pessimismo nas letras dos anos 1970 e 1980 já não antecipassem o que

culminaria com Estorvo (―vinha nego humilhado / vinha morto-vivo / vinha flagelado / de

tudo que é lado / vinha um bom motivo pra te esfolar‖, de Não Sonho Mais, do

álbum Vida, de 1980). Para o editor e escritor Tiago Ferro, autor de O Pai da Menina

Morta, romance finalista do Prêmio Jabuti, estudioso da obra literária de Chico Buarque,

―as canções já eram insuficientes para captar aquele momento histórico, para mostrar no

que havia dado a longa noite da ditadura, um país violento, perverso e aparentemente

sem saída‖. E Chico foi pousar nas estantes

QUESTÕES:

1. Qual o objetivo principal deste texto, isto é, sua finalidade?

2. Onde essa resenha foi publicada?

3. O que está sendo resenhado? Quem escreveu?

4. Por que esse texto é produzido?

5. Que influência um leitor pode sofrer com a leitura desse texto?

6. Que tipo de linguagem (formal ou informal) o autor utilizou para escrever as resenhas?

Comprove com trechos do texto.

7. Transcreva do texto frases associadas à obra resenhada.

8. Transcreva do texto frases associadas ao autor da obra.

9. Transcreva da resenha fragmentos que evidenciam a opinião do escritor da resenha.

10.Conclua: quais as principais características do gêneros

ajudem pfvr

Respostas
Respostas: 1

Outra pergunta: Português

question
Português, 15.08.2019 00:51
Preciso do resumo do conflito,do clímax e do desfecho do livro no fundo dos teus olhos de giselda laporta nicolelis é para o dia 16/08/19 me ajudem por ! 20 pts
Respostas: 2
question
Português, 15.08.2019 00:25
Duas frases com a figura de linguagem antítese, eufemismo, ironia, hipérbole, prosopopeia ​
Respostas: 1
question
Português, 15.08.2019 00:09
A)no lançamento de dois dados qual a probabilidade de sair dois números pares? ​
Respostas: 3
question
Português, 15.08.2019 00:04
Num texto de maria victória benevides, pode-se ler: “a faxineira, mãe de quatro filhos, preferia fazer suas compras no pão de açúcar aqui ao lado do que pertinho de sua casa, na zona sul da cidade, porque encontra promoções e economiza mais.” no fragmento acima, há um desvio da norma padrão no que concerne à regência verbal. identifique-o, assinalando a opção correta. a-poder. b-fazer. c-preferir. d-encontrar e-economizar
Respostas: 2
Você sabe a resposta certa?
Não há como ler o novo romance de Chico Buarque, Essa Gente, sem ter em perspectiva o fato de ele h...
Perguntas
question
Química, 06.06.2020 13:46
question
Inglês, 06.06.2020 13:47