subject
Português, 22.03.2021 15:30 ruiva2673

O mestre Antonio Candido, já pelos idos de 1980, nos ensinava que a literatura é um direito humano porque é um bem indispensável à nossa humanização. E é indispensável
à nossa humanização porque realiza funções fundamentais para o nosso
desenvolvimento enquanto seres humanos. A literatura estimula e alimenta nossa
imaginação, que é a essência da nossa humanidade; nos provoca e possibilita o exercício
da alteridade, pois nos coloca no lugar de outra pessoa (as personagens); contribui para
o desenvolvimento do nosso repertório linguístico, aumentando nossa capacidade de
comunicação com o mundo; e, ainda, nos propicia de uma outra maneira conhecer o
desenvolvimento do mundo e os conhecimentos produzidos ao longo da história.
Nenhum ser humano vive sem sonhos, sem imaginação. Os sonhos, no sentido da
imaginação, são a principal matéria da cultura. Diferentemente de outras espécies –
além do polegar opositor e da racionalidade – tudo o que o ser humano constrói, antes
de construído, foi imaginado. Quando imaginamos uma casa – a “casa dos nossos
sonhos” – a idealizamos e depois a construímos. Quando terminamos de construir já
temos outra imagem, outro sonho, já queremos “aperfeiçoar” o que antes era ideal, e
assim sucessivamente. Podemos dizer que nossa imaginação e nossos sonhos
alimentam a nossa vida, o nosso movimento no mundo.
À medida que lemos, vamos criando imagens, essas imagens nos transportam para
outro tempo e outro espaço. Essa viagem no tempo e no espaço nos ajuda a perceber,
ainda que inconscientemente, que a realidade não está dada, não é imutável, não é
congelada, assim é porque assim tem que ser. Isso fortalece nossa capacidade de
transformar as coisas, as nossas realidades. Esse exercício também nos alimenta a
alteridade, quando nos colocamos no lugar de outra pessoa e podemos sentir empatia.
O exercício de ler literatura aos poucos vai nos permitindo perceber que nossas
múltiplas visões e interpretações da realidade se entrecruzam, dialogam com os textos
e se transformam em outras percepções de mundo, ampliado, múltiplo, possível. Com
isso, nos desenvolvemos, desenvolvemos nosso olhar, desenvolvemos nossa
humanidade, “saímos da caixinha”.
Bem, se entendemos a importância da literatura no desenvolvimento da nossa essência
humana, compreendemos perfeitamente o que dizia Antonio Candido, quando afirmou
que a literatura é um direito humano.

1. O texto “O direito à Literatura”, trazido nessa questão, vai de encontro às ideias
trazidas no vídeo de Antônio Cândido assistido na aula de hoje, em que o
ouvimos dizer que “a literatura melhora muito o ser humano”. Explique de forma
sucinta o que você aprendeu com a leitura desse texto.

Respostas
Respostas: 2

Outra pergunta: Português

question
Português, 15.08.2019 01:05
Qual e o significado sinceridade ? ​
Respostas: 2
question
Português, 15.08.2019 00:51
Oque voce pode fazer para ajudar o mundo o tema do meu trabalho escolar é esse
Respostas: 1
question
Português, 15.08.2019 00:30
As frases apresentadas o dia começou a nascer o mar subitamente mudou agradeci em silêncio agora preencha a tabela abaixo conforme as indicações brasil sintagma verbal função núcleo do sintagma
Respostas: 2
question
Português, 15.08.2019 00:23
Qual a comparação entre a sociedade atual e o realismo antigo ?
Respostas: 1
Você sabe a resposta certa?
O mestre Antonio Candido, já pelos idos de 1980, nos ensinava que a literatura é um direito humano...
Perguntas
question
História, 05.11.2020 22:00
question
Matemática, 05.11.2020 22:00
question
Artes, 05.11.2020 22:00