subject
Português, 27.11.2020 23:30 alexandre704

O texto a seguir é um trecho do prefácio que o escritor russo Mikhail Liérmontov (1814-1841) escreveu para seu romance O herói do nosso tempo. Publicado em 1840, é considerado um dos livros mais importantes da prosa clássica russa. A questão toma por base este texto: por isso, leia-o atentamente para respondê-la. Em qualquer livro o prefácio é, ao mesmo tempo, a primeira e a última palavra. Serve para explicar o objeto da obra ou justificar e responder às críticas. Mas os leitores sempre se mantêm à margem das finalidades morais e dos ataques da imprensa, e por isso não leem prefácios, o que é lamentável, principalmente entre nós. O nosso público é ainda tão jovem e ingênuo que não entende uma fábula sem a moral da história no final. Não decifra burlas, não percebe ironias, é simplesmente mal-educado. Ainda não sabe que, numa sociedade decente e num livro também decente, não pode haver lugar para insultos ostensivos, que a cultura moderna inventou uma arma bem mais pungente, quase invisível porém mortal, que, sob o disfarce da lisonja, desfecha golpes certeiros e irrebatíveis. Nosso público parece aquele provinciano que, após ouvir a conversa de dois diplomatas pertencentes a cortes hostis, fica certo de que ambos estão enganando os seus governos em benefício de uma amizade mútua mais que terna. Não faz muito tempo, este livro foi alvo da infortunada credulidade de alguns leitores e até de revistas pelo sentido literal das palavras. Uns ficaram terrivelmente ofendidos, e a sério, por se lhes imputar o exemplo de um personagem tão imoral como o de "O herói do nosso tempo"; outros observaram mais sutilmente que o autor tinha desenhado o seu próprio retrato [...]. Entre nós, o mais fabular dos contos de fadas dificilmente escaparia à acusação de atentar contra a personalidade. "O herói do nosso tempo", meus caros senhores, é realmente um retrato, mas não o retrato de um só indivíduo: é um retrato dos vícios de toda a nossa geração, que estão em pleno desenvolvimento. LIÉRMONTOV, Mikhail. O herói do nosso tempo. São Paulo: Martins Fontes, 1999, p. 1-2. O prefácio cumpre um papel argumentativo na apresentação do romance. Marque a alternativa que o interpreta corretamente. A O prefácio serve para explicar a obra para os críticos literários, impedindo que eles cometam equívocos na interpretação do romance. B O prefácio interessa apenas aos leitores especializados, como os críticos que escrevem resenhas sobre a obra, funcionando como um roteiro de leitura. C O autor esclarece que o prefácio não se destina aos leitores mal-educados, porque estes jamais serão capazes de entender a obra, por isso não devem lê-lo. D O papel do prefácio é apresentar argumentos para fazer leitores despreparados, jovens e ingênuos, desistirem da leitura. E O papel do prefácio é o mesmo de todo livro: ele serve tanto para explicar o sentido da obra quanto para defendê-la das críticas.

Respostas
Respostas: 1

Outra pergunta: Português

question
Português, 15.08.2019 01:07
Boa noite, alguém poderia fazer uma redação com o tema: brasil, um país dos jovens, que aborda a diferença entre os jovens de hoje em dia com os de por favor​
Respostas: 3
question
Português, 15.08.2019 00:54
Texto meus oito anos como você explica a concordância, ou a falta de concordância, em "sem nenhum laranjais"?
Respostas: 1
question
Português, 15.08.2019 00:50
Continuação da crônica no terraço entre 7: 30 e 18: 00 finalzinho de tarde, sentada no terraço com o som da cidade ao fundo e os pássaros a comemorar o fim de tarde agradável ,no céu dourado toma conta das paisagem o efeito predileto dos fotógrafos ​
Respostas: 2
question
Português, 15.08.2019 00:48
Escreva os números por extenso.16: 77: 94: 25: 60: 16: 45: 90: 110: 250: 77: ​
Respostas: 2
Você sabe a resposta certa?
O texto a seguir é um trecho do prefácio que o escritor russo Mikhail Liérmontov (1814-1841) escreve...
Perguntas
question
História, 15.08.2019 01:09
question
Matemática, 15.08.2019 01:08